Rede Federal completa 106 anos | Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins

Data da Publicação: 23 set 2015
Hora da Publicação: 14:54
Rede Federal completa 106 anos
Autor: Comunicação

Pop-up---FINALCom forte política de interiorização, a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica completa nesta quarta-feira, 23 de setembro, 106 anos de educação pública, gratuita e de excelência. Criada a partir de uma proposta pedagógica inovadora, na qual ensino, pesquisa e extensão são indissociáveis, a Rede atua em todos os níveis e modalidades da educação profissional e tecnológica e na formação de professores para a educação básica, desenvolve a pesquisa, a inovação e a extensão tecnológica em sintonia com o setor produtivo.

A Rede Federal é composta por 38 Institutos Federais, 2 Centros de Educação Tecnológica e o Colégio Pedro II, contabilizando 562 unidades em todo o País. Juntas, essas instituições atendem a mais de um milhão de jovens e adultos, da formação inicial e continuada à pós-graduação. Para isso, contam com a dedicação de cerca de 60 mil servidores (professores e técnicos administrativos). A expectativa é que, até 2018, outras 208 unidades sejam implantadas.

O presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Belchior de Oliveira Rocha, ressalta que a qualidade da Rede vai além dos números. “Registramos estatísticas muito positivas, mas o que realmente qualifica as instituições são a natureza contemporânea, o caráter inovador, a política de inclusão social e a formação de cidadãos. Trabalhamos para transformar vidas e contribuir para o desenvolvimento do País”, disse.

Histórico

Em 23 de setembro de 1909, o então presidente Nilo Peçanha criou 19 escolas de Aprendizes Artífices, uma em cada capital dos Estados constituídos à época, dando início à trajetória da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Desde então, essas instituições passaram por diversas mudanças de nomenclatura e reordenamento. A mais recente ocorreu em 2008, quando foram criados os institutos federais de educação, ciência e tecnologia.

Texto: Assessoria de Comunicação (Conif)