Encerramento do primeiro encontro trabalho e saúde aconteceu no Campus Araguaína | Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins

Data da Publicação: 25 mar 2015
Hora da Publicação: 16:06
Encerramento do primeiro encontro trabalho e saúde aconteceu no Campus Araguaína
Autor: Administrador

Leandro Dias

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins, em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT), realizou nesta manhã de quarta-feira, 25, no auditório do Campus Araguaína do IFTO, a última roda de conversa encerrando o primeiro encontro de trabalho e saúde. O evento contou com a participação de servidores técnicos em educação e docentes das respectivas instituições.

O objetivo do encontro foi discutir a seguinte questão: Meu trabalho me adoece? O momento foi conduzido pela Professora doutora em psicologia da Universidade de Brasília (UnB), Ana Magnólia Mendes. A palestrante explanou sobre a psicodimânica do trabalho apontando dois aspectos que influenciam nas relações organizacionais: Prazer e sofrimento sendo este último criativo ou ético.

Nessa abordagem teórica, segundo a professora, Ana Magnólia, a organização do trabalho é um compromisso resultante da negociação social simultânea entre os pares e diferentes níveis hierárquicos. Para ela “o sofrimento ou a defesa se instalam no momento em que os trabalhadores não têm a possibilidade de utilizar o processo de mobilização subjetiva ou sentir prazer resultante do investimento sublimatório, seja por restrições de sua estrutura de personalidade, seja pelas imposições do modelo de organização do trabalho”.

Nesse aspecto, a palestrante, ressalta a importância de a instituição/empresa promover ações que contribuam para a qualidade de vida do trabalhador, a pesquisadora diz que “a empresa ou instituição precisa desenvolver dispositivos, para tentar mobilizar os trabalhadores a resgatar o sentido do trabalho, a construir soluções mais coletivas, fortalecer os coletivos de trabalho de modo a prevenir o adoecimento, ações como espaços de escuta e de discussão, oficinas, campanhas educativas para orientar, informar sobre o que é o trabalho? qual sua importância? A relevância da democracia e cooperação no espaço de trabalho”.

Após a palestra foi aberto o debate aos presentes sobre o tema, os participantes tiveram a oportunidade de questionar, opinar e expor sobre sua realidade de trabalho, cada ponto teve uma intervenção da palestrante, esclarecendo os fatos segundo suas pesquisas.

Para o professor do IFTO, Weliton de Farias Nascimento, esses momentos de discussão são de extrema relevância, pois, consolidam dentro das instituições espaços democráticos para a tomada de decisões sobre as ações a serem realizadas com intuito de corroborar com a mobilização subjetiva: “o momento foi importante para que possamos buscar instrumentos visando melhorar as condições de trabalho, vejo que no setor de ensino, por exemplo, já existe essa mobilização subjetiva entre a equipe, porém, precisamos efetivar essa discussão de maneira a estendê-la a toda instituição, melhorando assim os processos que se desenvolvem na organização, promover espaços de decisões e ações coletivas seria imprescindível” completa o docente.