Doutoranda do campus Araguaína pesquisará composição genética, história demográfica e saúde de comunidades quilombolas | Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins

Data da Publicação: 27 fev 2014
Hora da Publicação: 18:08
Doutoranda do campus Araguaína pesquisará composição genética, história demográfica e saúde de comunidades quilombolas
Autor: Comunicação

 

Comunidade quilombola Dona Juicelina

Comunidade quilombola Dona Juicelina

A professora do campus Araguaína do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) Sabrina Guimarães Paiva, que atualmente cursa doutorado no Laboratório de Genética da Universidade de Brasília (UnB), em conjunto com o professor Gerson Alves de Oliveira, visitaram no dia 21 de janeiro, as comunidades quilombolas da região, dando início ao projeto de pesquisa “Quilombolas no norte do estado do Tocantins, Brasil: composição genética, história demográfica e saúde”.

 O projeto orientado pela professora doutora Silviene Fabiana de Oliveira, que assegura que o presente estudo busca introduzir uma nova maneira de avaliar populações humanas, irá descrever a relação entre formação, organização e situação dessas comunidades remanescentes de quilombos na estrutura genética e estado de saúde das mesmas. 

As comunidades quilombolas visitadas foram: comunidade Pé do Morro, no município de Aragominas, sob a liderança de Francisco Edmar de Oliveira e Edvaldo Antônio de Oliveira; comunidade Dona Juicelina, no município de Muricilândia, comandada por Manoel Filho Borges; e comunidade Cocalinho, no município de Santa Fé do Araguaia, conduzida por José Carlos Silva Sousa.

Comunidade quilombola de Pé do Morro

Comunidade quilombola de Pé do Morro

Na ocasião foi discutido o planejamento para a próxima etapa do projeto, que consistirá nas atividades de campo. O projeto de pesquisa é resultado da colaboração científica entre o campus Araguaína do IFTO e o Laboratório de Genética do Instituto de Ciências Biológicas da UnB.

Segundo o professor Gerson, além da caracterização das comunidades, o projeto permitirá a reconstrução histórica, memórias e conhecimentos a serem aplicados futuramente na formulação de políticas públicas, ressaltou.

Comunidade quilombola de Cocalinho

Comunidade quilombola de Cocalinho