Campus Araguaína inicia suas atividades no Pronatec Campo | Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins

Data da Publicação: 24 mar 2014
Hora da Publicação: 11:50
Campus Araguaína inicia suas atividades no Pronatec Campo
Autor: Comunicação

Pronatec CampoPromover a inclusão social de jovens e trabalhadores do campo por meio da ampliação da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, da oferta de cursos de formação inicial e continuada para trabalhadores de acordo com os arranjos produtivos rurais de cada região. Esse é o objetivo do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego no Campo, o Pronatec Campo, que iniciou suas atividades no campus Araguaína, do Instituto Federal do Tocantins, neste último final de semana, 22 e 23.

 Neste semestre serão ofertadas sete turmas de Agricultura Familiar e cinco turmas de horticultura orgânica, formando um total de doze turmas em projetos de assentamentos. Serão 480 assentados e agricultores familiares que terão a oportunidade de receber uma qualificação técnica profissional que proporcionará um maior conhecimento ao homem do campo.

No município de Piraquê, serão três assentamentos contemplados pelo programa: Tucumirim, Boa Esperança e Ventura I. Na região do médio Araguaia, os municípios atendidos pelo programa serão Juarina, Pau DArco e Arapoema.

Em Juarina serão formadas duas turmas de Agricultura Familiar, uma no PA Juarina e outra no PA Vale do Barreira. Já no município de Pau DArco, será uma turma de Agricultura Familiar no PA Sudam e duas turmas de horticultura orgânica na Vila dos Pescadores. Por sua vez, na cidade de Arapoema haverá uma turma de Agricultura Familiar no Assentamento Mutamba. Três comunidades quilombolas tocantinenses também serão beneficiadas com o curso de horticultura orgânica, são elas: Baviera, em Aragominas; Cocalinho, em Santa Fé do Araguaia; e Dona Juscelina, em Muricilandia.

Para o agricultor familiar, Benedito Ribeiro da Silva, assentado na região do Piraquê, no assentamento Tucumirim, esse curso veio para ampliar a visão dos assentados. Para ele, atualmente, “não basta apenas plantar e colher, é preciso conhecer as técnicas básicas de administração, as máquinas e equipamentos, enfim, de todos os recursos usados para produzir mais e melhor”, afirmou.

 Segundo o coordenador do Pronatec Campo, Mateus DallAgnoll, a oferta de cursos à comunidade da zona rural é uma oportunidade para o IFTO alargar suas fronteiras e disseminar o nome da instituição.